Ministros assinam autorização para 4 obras da Copa em Curitiba

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann e o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB) assinaram, neste sábado, a autorização para a licitação de quatro grandes obras de infraestrutura e mobilidade urbana na capital paranaense visando a Copa do Mundo de 2014.

O pacote de obras soma R$ 181 milhões, com recursos do PAC da Copa e do município, para a construção de um Viaduto Estaiado na Avenida das Torres (que liga o aeroporto ao centro da cidade) com a Rua Francisco dos Santos, a trincheira da Rua Guabirotuba sob a Avenida das Torres, a reconstrução e ampliação do terminal Santa Cândida e a implantação do SIM (Sistema Integrado de Mobilidade).

"A Copa do Mundo é um evento que tem muito significado para o Brasil. Curitiba já é conhecida e reconhecida por seu planejamento e por suas obras, e vai ficar ainda mais com essas obras importantes e bonitas que ficarão de legado, vão beneficiar para a vida inteira a população de Curitiba e da região metropolitana", disse a ministra.

"São obras grandiosas, de mobilidade urbana, grandes pontes, um viaduto, um sistema de sinalização inteligente, que vão facilitar muito a vida de quem utiliza essas vias no dia-a-dia, não só durante as semanas em que a Copa do Mundo passará pela cidade", completou.

O prefeito Luciano Ducci disse que os editais das licitações serão publicados já no início da próxima semana para o andamento das obras. "Antes mesmo do mundial de futebol a população curitibana poderá usufruir dos benefícios dessas grandes obras. O legado da Copa começa antes do Mundial. São investimentos planejados para o desenvolvimento ordenado da cidade e o bem-estar da nossa população", frisou o prefeito. O prefeito lembrou que a cidade tem um outro programa local em andamento, com 7 obras para a Copa, com investimento de R$ 143 milhões, com recursos próprios, do BID, da Agência Francesa e do governo do Estado.

Gleisi disse que Curitiba sai na frente de outras cidades que ainda não lançaram o edital de suas obras, mas disse não haver preocupação do governo federal quanto a atrasos. "Fizemos reunião com a presidenta essa semana para tratar dessas obras das áreas urbanas, de responsabilidade dos estados e municípios e vimos que muitas delas estavam atrasadas quanto a programação da licitação até o final do ano. Embora Curitiba tenha conseguido lançar o edital até o fim do ano, então ampliamos os prazos para iniciar as licitações das obras até março do ano que vem. Acredito que o Brasil, vai fazer bonito, vai entregar a maioria das obras dentro dos prazos".