Dilma e Cristina Kirchner ausentes no segundo dia de cúpula da Celac

CARACAS - O segundo dia da cúpula fundacional da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac) começa este sábado, em Caracas, sem a presença das presidentes da Argentina, Cristina Kirchner, e do Brasil, Dilma Rousseff, que foram embora horas atrás.

Ambas as presidentes participaram, na sexta-feira, da primeira plenária do organismo nascente, que reúne 33 países da região, excluindo Estados Unidos e Canadá, e pode rivalizar com a Organização dos Estados Americanos (OEA).

Kirchner, que chegou a Buenos Aires às 8 horas locais (11horas GMT), segundo a estatal Agência Telam, se reuniu em Caracas com o anfitrião Hugo Chávez e com Rousseff, que por sua vez, também participou de encontros bilaterais com o presidente da Venezuela e o da Bolívia, Evo Morales.

A televisão estatal venezuelana mostrou imagens da saída da presidente do Brasil, que partiu depois das 10 horas (14h30 GMT).

Na agenda deste sábado estão previstas duas novas sessões plenárias, das quais participará o presidente chileno Sebastián Piñera, que chegou à capital venezuelana este sábado, pela manhã.

O Chile sediará a próxima cúpula da Celac em 2012. Em 2013, será a vez de Cuba e da Costa Rica, no ano seguinte.

Além dos debates, está prevista uma reunião presidencial dos países membros da Petrocaribe, uma iniciativa venezuelana de pagamentos preferenciais que favorece os membros quando o preço do barril do petróleo está alto, segundo os assessores de imprensa do governo anfitrião.

O Ministério da Informação venezuelano indicou que, ao terminar a sessão de abertura, na noite de sexta-feira, Chávez se reuniu com os presidentes do México, Felipe Calderón e da Colômbia, Juan Manuel Santos.

"Os presidentes revisaram temas de interesse para ambas as nações e para o fortalecimento da integração regional", destacou o texto, sem dar mais detalhes.

Chávez e Santos se encontraram em Caracas no começo desta semana. A Celac, um organismo herdeiro dos fóruns da Cúpula da América Latina e do Caribe (CALC) e Grupo do Rio, começou a se formar no Brasil, em 2008.