MT: mulher de tesoureiro que forjou sequestro da família se entrega

A mulher do tesoureiro da Caixa Econômica Federal de Barra do Bugres, a 130 km de Cuiabá, se entregou à polícia na quinta-feira. Segundo a Polícia Federal, que concluiu hoje as investigações, seu marido, preso desde o dia 19 de outubro deste ano, coordenou uma ação forjada para sequestrar a própria família e retirar valores da empresa, com a ciência da esposa e ação direta de outros dois homens.

Além de cumplicidade no crime, a mulher é acusada de sequestrar sua irmã e o próprio filho. Segundo a PF, Ronaldo da Silva Santos, o Nego 10, e Moisés Inocêncio da Silva, acusados da execução do sequestro, estão foragidos. Ambos já responderam a processos por outros crimes. Ronaldo foi acusado de contrabando, e Moisés já foi preso por roubo.

A ação ocorreu na manhã do dia 18 de outubro. A PF foi acionada para atender ao sequestro da esposa e do filho do tesoureiro da CEF, que teria ocorrido às 7h30. Quatro homens armados estariam em posse da esposa e do enteado do tesoureiro, e exigiam mais de R$ 1 milhão em dinheiro para libertar os parentes.

Diversas unidades das polícias Federal, Civil e Militar foram deslocadas para cercar o ponto de entrega do dinheiro e fazer buscas na região. Com o cerco, os criminosos libertaram a família por volta do meio-dia e fugiram em seguida. Ninguém foi preso no dia.

Já no dia seguinte, a PF prendeu o tesoureiro da Caixa por suspeita de ter forjado o sequestro, porque o sequestrador tinha ciência do montante de dinheiro existente no caixa, uma informação restrita ao tesoureiro. Posteriormente, a investigação mostrou que a esposa do tesoureiro sabia sobre o crime. Todos foram indiciados por extorsão mediante sequestro, e podem pegar penas de 12 a 20 anos de reclusão.