Com 3 mil candidatos a menos, UFBA tem segundo dia de provas

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) aplica, nesta segunda-feira, as provas de Matemática, Ciências Humanas e Língua Estrangeira, neste último dia de exames da primeira fase de seu vestibular anual. Dos 36.287 inscritos para 6.436 vagas dos cursos tradicionais de graduação, 3.399 não compareceram para fazer as provas no primeiro dia, no domingo, o que corresponde a 9,36% do total de candidatos.

Nos Pavilhões de Aulas I e III, no bairro de Ondina, em Salvador, os portões foram abertos pontualmente às 7h30 da manhã, e fechados com uma tolerância de dois minutos. Pelo segundo dia consecutivo, a universidade não contabilizou retardatários, mas muitos estudantes deixaram para passar pelos portões nos últimos segundos antes do término do prazo limite, aproveitando esse tempo para revisar pela última vez as fórmulas de Matemática.

A estudante Mariana Dourado, 17 anos, estudou "bem estudado" um ano inteiro de cursinho, além das aulas regulares do terceiro ano do Ensino Médio do colégio. Mas ela acredita que revisando mais uma vez, quase na hora de entrar na sala para fazer a prova, "refresca a memória".

"Trouxe este papel, com fórmulas de geometria, função, PA e PG e as demais fórmulas que serão cobradas na prova de Matemática porque, passadas as provas de ontem, estou com a cabeça mais tranquila hoje", acredita.

Já Ana Bárbara Ferreira, 19 anos, também candidata ao curso de Direito - um dos mais concorridos da UFBA - acredita em uma 'tese', segundo ela, confirmada por amigos que já prestaram vestibular pela Federal e por professores de cursinho: "De 2005 para cá, o nível de exigência da prova de Matemática da UFBA tem sido cada vez menor, por isso, estou tranquila; acredito que a prova vai estar muito fácil", palpita.

Para a coordenadora do Serviço de Seleção, Orientação e Avaliação (SSOA) da UFBA, professora Antônia Caló, essa 'tese' não está correta. "O vestibular é apenas mais fácil ou mais difícil de acordo com a capacidade e o rendimento do candidato", afirma.

A despeito das críticas de alguns candidatos, de que os fiscais estão despreparados porque desconhecem regras básicas do exame, a universidade informou que todos eles passaram por um "rigoroso processo seletivo", além de quatro treinamentos.