Marco Aurélio Mello: Tenho pena da nova ministra do STF

Após meses de reuniões e análise de currículos em Brasília, a presidente Dilma Rousseff escolheu a gaúcha Rosa Maria Weber Candiota da Rosa, 63, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), para assumir a 11ª cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF), vaga desde a aposentadoria da ministra Ellen Gracie, em agosto deste ano. De acordo com o ministro do STF Marco Aurélio Mello, a Corte recebeu bem a indicação de Rosa Weber, mas ele diz ter "pena" da nova colega.

"Estou muito satisfeito com a indicação, mas tenho pena de Rosa, porque ela vai receber os processos que deixaram de ser distribuídos ao gabinete da ministra Ellen Gracie enquanto a cadeira esteve vazia. Está acumulado", afirmou o ministro em entrevista a Terra Magazine.

Segundo Marco Aurélio Mello, os dez ministros do STF têm recebido 10% a mais de processos desde a aposentadoria de Ellen em agosto. "Me sinto aliviado porque, agora, com a ministra Rosa Weber, a carga de trabalho será mais equitativa", explicou.

A escolha da nova ministra aconteceu após um demorado processo, comando pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e pelo advogado-geral da União, Luiz Inácio Adams. Estavam no páreo 15 juízas, mas Rosa tinha também o apoio do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, e do ex-marido de Dilma, o advogado Carlos Araújo. Agora, a ministra precisa passar pelo crivo do Senado Federal para assumir sua cadeira no STF.

"Rosa é uma juíza de carreira, com bagagem de bons serviços prestados nessa área tão sensível que é a do Direito do Trabalho. Agora, seremos dois oriundos do Tribunal Superior do Trabalho (TST)", declarou Mello. Que completa: "E ela chegou com respaldo, né?", em referência à presidente Dilma Rousseff e a seus outros dois padrinhos gaúchos.