Cunhado de Orlando Silva esclarece contas do Esporte em Campinas

A secretaria de esportes da Prefeitura de Campinas não assinou convênio com ONGs, mas firmou contratos com o Ministério do Esporte para o recebimento de recursos financeiros destinados ao programa Segundo Tempo, durante a gestão do ex-ministro Orlando Silva. A afirmação é do secretário de esportes e lazer de Campinas, Gustavo Petta, cunhado do ex-ministro, durante a prestação de esclarecimentos aos vereadores da Comissão de Legalidade e Justiça da Câmara Municipal de Campinas, na manhã desta quarta-feira.

Petta foi convidado a comparecer para mostrar o andamento das contas da pasta após o surgimento de denúncias envolvendo o Ministério. O secretário negou qualquer tipo de favorecimento pelo fato de ser cunhado do ex-ministro ou, até mesmo, por pertencer ao mesmo partido de Orlando Silva, o PCdoB.

"Isso é uma prestação de contas para a comunidade", disse o vereador Campos Filhos(DEM), justificando a necessidade da presença do secretário, principalmente depois das quatro alterações no governo municipal. Petta reassumiu as funções na secretaria com a volta ao cargo do prefeito Demétrio Vilagra (PT), que esteve fora da prefeitura por 15 dias.

Dinheiro sobrando

Petta explicou que sua secretaria dispõe de uma sobra de R$ 2.400 milhões do Programa Segundo Tempo. "A princípio, a meta era atingir 10 mil crianças e o convênio seria de 5 milhões. Mas o ministério achou por bem atender 5 mil crianças em 50 núcleos. Por isso essa sobra que poderá ser usada para a continuidade do programa ou ser devolvida ao ministério" disse.

Ele falou que as atividades com as crianças foram realizadas até junho deste ano por meio de duas entidades, que destinaram estagiários e programas de atividades, e a CEASA (Centrais de Abastecimento S/A) que repassou a alimentação.

Questionado se sua imagem sai arranhada frente às acusações contra o ex-ministro Orlando Silva, Petta falou que não enxerga desta maneira. "Sou solidário ao ex-ministro Orlando até porque não há nenhuma comprovação do que ele foi acusado", falou o secretário, que coloca em dúvida as declarações do ex-policial João Dias Ferreira, contra Orlando Silva. "No caso do ex-policial que falou que ele recebeu dinheiro na garagem até hoje ele, o ex-policial, não apresentou nenhuma prova".

"O ex-ministro está se defendendo e ele tem o apoio do partido. Em relação acidade de Campinas estou esclarecendo aqui e espero ter deixado sanadas todas as duvidas e quero deixar tudo claro", finalizou.