Senador que perderá cargo para Cunha Lima diz que recorrerá

O senador Wilson Santiago (PMDB-PB) afirmou nesta segunda-feira que vai recorrer mais uma vez ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da decisão de autorizar a posse de Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) no Senado. A declaração foi dada após reunião da Mesa Diretora, que marcou a posse de Cunha Lima para terça-feira, às 18h. As informações são da Agência Senado.

Em outubro, o STF determinou a posse imediata de Cunha Lima, cujo registro havia sido barrado pela Lei da Ficha Limpa nas eleições do ano passado, já que ele teve o mandato de governador cassado em 2008, por suspeita de abusos na eleição anterior. Com a decisão do Supremo de que a Ficha Limpa não poderia ser aplicada para o pleito de 2010, Cunha Lima se tornou elegível. A posse já havia sido determinada em maio, pelo relator do caso, Joaquim Barbosa, mas vários recursos tentaram impedir o cumprimento da decisão.

"Como é que alguém pode ser senador se a própria lei diz, e as decisões judiciais comprovam, que ele está inelegível?", questionou o peemedebista, que ficou em terceiro lugar na disputa para o cargo nas eleições de 2010 e deverá deixar o mandato com a posse do tucano. "Se ele, ou qualquer um, exerce um mandato sub judice, com certeza poderá ser substituído ou afastado a qualquer momento. Acredito na Justiça", disse Santiago, que espera poder retornar ao cargo após a posse de Cunha Lima.

Cunha Lima disse que a posse no Senado reafirma conquistas importantes da democracia brasileira e encerra um capítulo "difícil de sua vida pessoal". "É uma vitória de democracia. Prevaleceu a vontade soberana do povo da Paraíba, que me elegeu com mais de 1 milhão de votos. Venceu a democracia e, portanto, fortalecem-se as instituições porque o Senado cumpre a decisão do Supremo e respeita naturalmente a vontade popular", disse