Rebelo promete "independência", mas diz que seguirá governo 

Novo ministro do Esporte, Aldo Rebelo foi contido em suas primeiras declarações no cargo. Substituto de Orlando Silva, que pediu demissão por denúncias de irregularidades, Rebelo prometeu exercer a função com "independência", mas salientou que defenderá a posição do governo nas questões mais importantes da pasta.

"Não tenho atribuição de rever a lei da Copa, porque é uma atribuição da Câmara dos Deputados", disse o político, que é membro do mesmo partido do seu antecessor no ministério, o PCdoB.

Rebelo admitiu ser a favor da meia entrada, porém não esclareceu se defenderá a prática na Copa do Mundo: "como ministro, terei que defender a posição do governo", explicou.

Evitando polêmicas, o novo ministro se disse "parceiro" da CBF e da Fifa, mas assegurou que isso não influenciará a sua "independência". Deputado federal por São Paulo pelo quinto mandato consecutivo, Aldo Rebelo presidiu a Câmara entre 2005 e 2007 e foi ministro-chefe da Secretaria de Coordenação Política e Relações Institucionais de 2004 a 2005, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva.