Empresa de PE empregava adolescentes; contato com lixo hospitalar é investigado

O ministro francês das Relações Exteriores, Alain Juppé, saudou nesta quinta-feira o "fim de 42 anos de tirania" na Líbia, após o anúncio pelas autoridades da morte do líder deposto Muamar Kadhafi, e declarou que a França está orgulhosa de ter ajudado o povo líbio.

"O anúncio da morte de Kadhafi e a queda de Sirte significam o fim de um período muito difícil para o povo líbio. É o fim de 42 anos de tirania, de um conflito militar que foi muito duro para o povo líbio", declarou Juppé à imprensa em Nova Délhi.

"Trata-se de um fato histórico. É o início de uma nova era de democracia, liberdade e reconstrução do país", ressaltou.

"A França está orgulhosa de ter ajudado o povo líbio", disse, referindo-se ao papel desempenhado pelas tropas francesas na operação da Otan nos sete meses de conflito.