Estudantes de medicina protestam contra no Rio Grande do Sul

O Dia do Médico, comemorado nessa terça-feira, 18, foi marcado por manifestações estudantis em várias cidades do Rio Grande do Sul. Em Santa Cruz do Sul, a cerca de 170 km de Porto Alegre, 80 estudantes do curso de Medicina da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) participaram de um ato na praça Getúlio Vargas, no centro da cidade.

Durante a manifestação, munidos de panfletos, os estudantes tentavam sensibilizar a população contra a medida adotada pelo governo federal, que prevê, a partir de janeiro de 2012, uma alteração no processo seletivo para que os graduandos em Medicina tenham acesso à residência médica. A residência consiste num treinamento, acompanhado por professores e profissionais da área, para que o recém-formado se profissionalize, conforme o seu interesse, em uma especialidade da medicina.

A nova medida, conhecida como bônus-residência, pretende levar a assistência dos profissionais ao interior do Brasil. Com isso, o candidato à especialização que tiver interesse em prestar assistência médica em municípios do interior, vai receber um acréscimo de 20% na nota de qualificação para as vagas de residência.

De acordo com Diego Goergem, presidente do Diretório Acadêmico de Medicina da Unisc, o governo pretende estimular o trabalho dos médicos recém-formados no interior, mas não fornece o respaldo para adoção da medida. "O recém-formado não tem condições de trabalhar em hospitais sem infra-estruta de medicamentos e equipamentos. A residência é um processo assistido, que exige condições mínimas de trabalho", afirma.

Ainda segundo Diego, o critério de acréscimo de 20% à nota dos médicos que atuarem nos hospitais do interior, vai acirrar ainda mais a competição entre os demais candidatos à residência.

Além de Santa Cruz do Sul, estudantes de Medicina em Pelotas, Passo Fundo e Porto Alegre também realizaram manifestações.