Skinhead pega 30 anos de prisão por forçar jovem a pular de trem em SP

O analista de sistemas Vinícius Parizatto, acusado juntamente com outros dois homens de obrigar dois amigos a pular de um trem em movimento em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, em dezembro de 2003, foi condenado na madrugada desta quinta-feira a 31 anos, 9 meses e 3 dias de reclusão em regime fechado, segundo informações da rádio CBN.

Beneficiado por uma habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF), Parizatto não será preso, apesar da condenação. 

O júri foi realizado no Fórum de Mogi das Cruzes, onde ocorreu o crime. No incidente, Cleiton da Silva Leite morreu, enquanto Flavio Cordeiro perdeu um dos braços.

Parizatto é o segundo réu do processo a ser condenado. Em maio deste ano, os jurados condenaram Juliano Aparecido de Freitas, conhecido como “Dumbão”, a 24 anos de prisão. Danilo Gimenez Ramos, o terceiro acusado pelos crimes, aguarda julgamento, ainda sem data fixada.