Professora baleada por aluno passa por nova cirurgia em SP

A professora Rosileide Queiros de Oliveira, 38 anos, atingida por um tiro de um aluno em São Caetano do Sul, (SP) na última quinta-feira, passa por mais uma cirurgia no Hospital das Clínicas em São Paulo. A docente foi encaminhada, na manhã desta quarta-feira, para o Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas para corrigir um trauma na patela (osso de articulação com o fémur, na perna), provocado pela queda no dia do incidente.

De acordo com a assessoria do hospital, a cirurgia, que estava programada para as 12h, foi adiada para as 11h30. Se ocorrer tudo dentro do previsto, o procedimento deverá ser finalizado por volta das 15h.

Na sexta-feira, ela passou por uma cirurgia para retirar a bala que atingiu a região do quadril. Um depoimento estava previsto para quinta-feira. O estado de saúde da professora antes da cirurgia era estável. O hospital não divulgou nenhuma previsão de alta.

Hoje, os alunos da escola municipal Alcina Dantas Feijão, em São Caetano do Sul, região metropolitana de São Paulo, retornaram às aulas, seis dias após o aluno de dez anos atirar na professora e se matar logo em seguida. Eles combinaram a volta com um evento nas redes sociais chamado Retorno de Paz, em que sugeriram que todos vestissem branco e trouxessem bexigas e rosas da mesma cor. Por causa do tempo frio, por volta das 6h30, muitas foram com a camiseta branca por cima do agasalho do uniforme escolar.

O clima de volta às aulas estava normal; nada indicava que tivesse havido uma tentativa de homicídio e um suicídio na semana anterior. O discurso de todos era de dissociar a instituição de ensino do ocorrido na quinta-feira da semana passada.

"A culpa não é da escola. Acho que ela não deveria ser culpada", disse uma das crianças, R. F. M., 14 anos. Às 7h, começou o turno das 900 crianças que estudam no ensino médio, com idades que variam de 14 a 17 anos. O grupo é mais velho do que o estudante que baleou a professora na semana anterior - ele era do 4º ano e estudava à tarde.