Depois das enchentes, situação volta aos poucos à normalidade em SC 

A semana começa com frio e tempo seco, com o predomínio de sol, em Santa Catarina. Segundo a Defesa Civil, a situação no estado volta aos poucos à normalidade. O tempo bom nas últimas horas facilitou o trabalho das equipes de resgate e, a partir de hoje, os pedidos começam a ser de assistência para limpeza. 

As chuvas que atingiram o estado na semana passada afetaram 935.932 pessoas, das quais 159 mil ficaram desalojadas e 15 mil, desabrigadas. Houve prejuízos em 91 municípios, sendo que nove decretaram estado de calamidade pública e 36 estão em situação de emergência. Três pessoas morreram em consequência das chuvas.

Levantamento da Defesa Civil mostra que em alguns municípios a situação ainda é crítica. Em Taió, onde 3 mil pessoas foram atingidas, a dificuldade é prestar socorro às vitimas, principalmente pelas condições das estradas e pela falta de comunicação por telefonia fixa e móvel.

No município de Ascurra, foram afetadas mais de 7 mil pessoas. Em Agronômica, todo o comércio e as indústrias está praticamente destruído. Estão sendo utilizados barcos para distribuição de alimentos e água. Em Aurora, há 3,5 mil pessoas afetadas. Em Brusque, houve danos significativos em todo o comércio e em grande parte das indústrias. Ao município de Rio do Oeste, só é possível chegar por um acesso secundário. Em São Martinho, duas rodovias estaduais estão comprometidas. Em Laurentino, a energia elétrica e os telefones foram restabelecidos, mas o município continua isolado.

A Secretaria de Educação informa que algumas escolas estaduais estarão com as aulas suspensas neste início de semana nos núcleos de Blumenau, Itajaí e Brusque.

A Secretaria da Infraestrutura de Santa Catarina espera ter uma avaliação dos prejuízos em uma semana. As secretarias de Desenvolvimento Regional de Rio do Sul, Blumenau, Ituporanga, Ibirama, Timbó, Ibirama, Brusque e Itajaí têm até sexta-feira (16) para apresentar um relatório detalhado dos problemas em estradas estaduais e municipais.

O secretário de Infraestrutura, Valdir Cobalchini, informou por meio da sua assessoria, que só após a avaliação da situação poderá definir as ações. “Desobstrução de rodovia não pode esperar porque é emergência e as obras já estão sendo feitas. Já ações como reparos em rodovias serão definidas até o final da semana”.

Segundo o secretário, só após essas avaliações será possível estipular os valores necessários para a recuperação das rodovias estaduais e também auxiliar os municípios mais atingidos. Para conseguir os recursos, será necessário recorrer aos governos estadual e federal.