AL: prefeita e marido são presos acusados de matar vereador

A prefeita de Anadia (AL), Sânia Tereza (PT), o marido dela, Alexsander Leal, e um policial militar foram presos na manhã desta segunda-feira acusados de matar o vice-presidente da Câmara dos Vereadores, Luiz Ferreira, assassinado com 11 tiros em uma estrada. Sânia foi presa por determinação do presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Sebastião Costa.

Pela linha de investigação adotada, o vereador foi assassinado porque seria o "voto de minerva" em um pedido de cassação contra a prefeita em votação na Câmara. O placar estava quatro a quatro. Sânia é suspeita e responde por uma série de irregularidades, como o uso de R$ 8 milhões dos cofres públicos sem autorização da Casa.

A cassação dependia da mudança de regimento da Câmara. A primeira votação aconteceria em 1º de agosto. "E não aconteceu porque misteriosamente faltou luz", disse o presidente municipal do PPS de Anadia, Dimas Almeida. A votação foi transferida para o dia 8, mas Luiz Ferreira foi assassinado antes.

Na semana passada, o PPS nacional enviou a Alagoas o deputado federal Rubens Bueno (PPS/PR) para acompanhar as investigações do assassinato. O presidente do PPS no Estado, Régis Cavalcante, disse que o crime foi político, mas evitou dar nomes.

O carro onde estava o vice-presidente foi encontrado com o freio de mão puxado estacionado em uma estrada, indicando que ele teria parado o carro para ajudar ou por conhecer alguém. Luiz Ferreira foi morto horas após lançar sua candidatura a prefeito.