Homem divide casa com 22 pessoas durante enchente em SC

Moradores cidade de Itajaí, uma das cidades afetadas pelas enchentes que assolam o Estado de Santa Catarina, dividem o pouco que tem para ajudar os mais próximos. Esse foi o caso do operador de máquina Celino José dos Santos, 43 anos, que dividiu, por três dias, um espaço de pouco menos de 50 m² com 22 pessoas, isso sem contar com os cachorros e uma galinha. "A galinha infernizou demais, então acabou na panela", disse em tom de brincadeira. Apenas quatro pessoas vivem na residência e nenhuma delas quis sair de casa durante os dias de enchente.

"A maioria do pessoal que ficou comigo eram amigos e parentes", disse Santos em frente à sua casa na companhia de alguns dos amigos assavam um churrasco. "Vai uma carne de cachorro ai?", brincavam. Enquanto isso, as mulheres tiravam a sujeira trazida pela enchente no piso térreo.

Apesar do clima de descontração, Santos diz que ele e os vizinhos ficaram em alerta por causa do risco de arrombamentos. "Nos revezávamos em turnos de 12 horas aqui em casa. Eu ficava de noite e meu filho de dia". Ele conta que uma das cenas mais tristes que viu foi o afogamento de um cachorro em frente às sua casa. Um outro cão ele conseguiu salvar com a ajuda de um amigo que passava com um barco em frente a sua casa.

"Pedi para o meu conhecido ir lá, mas ele ficou com medo de levar uma mordida. Então eu fui. O bicho estava catinguento (fedorento), mas o levamos para um lugar mais seco", lembra.