Minc defende mais incentivo à preservação e menos concessão ao desmatamento

Na avaliação do ex-ministro do Meio Ambiente Carlos Minc, é necessário mais incentivo à produção e preservação e menos concessão ao desmatamento.

A possibilidade de aumento da produção agrícola - que, conforme ressaltou, é o "sustentáculo da balança comercial" - sem a necessidade de desmatar é consensual, observou. No entanto, em sua visão, o texto do Código Florestal em discussão no Senado  "abre caminho para desmatar em encostas de morros e até em reservas legais".

Minc sugeriu, por exemplo, que, no artigo oitavo do projeto sobre a reforma do Código Florestal, que trata da regularização de desmatamento para atividades agrossilvopastoris, deve ficar explícita a exigência de sustentabilidade. Para ele, da forma como está, a proteção ao meio ambiente pode ser exceção, uma vez que, segundo afirmou, a pecuária é uma das principais atividades responsáveis pela erosão de terras.

O ministro participa de audiência conjunta das comissões de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), Meio Ambiente (CMA) e Ciência e Tecnologia (CCT).