Lula contraria Marta e diz que PT precisa de 'discurso novo' em SP

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu na segunda-feira, separadamente, quatro pré-candidatos petistas à prefeitura de São Paulo. Ele conversou com o ministro da Educação, Fernando Haddad, por quem tem preferência na disputa, com os deputados Carlos Zarattini, Jilmar Tatto e com a senadora Marta Suplicy - o senador Eduardo Suplicy não foi chamado. 

A eles defendeu o que fala nos bastidores: o PT precisa de "discurso novo" e de "proposta inovadora" se quiser vencer no maior colégio eleitoral do país. Foi uma indicação de que não quer Marta candidata. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A senadora foi a última a conversar com Lula. O ex-presidente não pediu a ela que retirasse seu nome da disputa, mas tangenciou o assunto ao dizer, sem meias palavras, que achava melhor um "nome novo". 

Ao deixar o encontro, Marta chegou a admitir que "a ideia de uma cara nova pode até ser boa". Afirmou, no entanto, que pretende levar adiante a sua pré-candidatura. "Eu falei que achava importante ouvir a opinião dele, mas que achava que era a pessoa com mais condição de disputa. Ele também não discordou. Ele tem uma teoria toda dele. Mas foi extremamente respeitoso", disse Marta ao deixar o encontro. 

Ontem, Lula disse a Marta que sua posição no Senado é muito importante, principalmente no momento de fragilidade da base, e lembrou que perdeu candidatos a governador na eleição de 2010 para eleger senadores aliados. Haddad deixou o encontro afirmando não trabalhar com a hipótese de desistência de Marta "neste momento". "Estamos sintonizados", afirmou.