Servidor diz que ministério está corrompido e presença de Rossi atrapalha

Israel Leonardo Batista, ex-chefe da comissão de licitação no Ministério da Agricultura e funcionário que denunciou a distribuição de propinas por um lobista na pasta, afirmou que o ministério foi corrompido após a chegada de Wagner Rossi (PMDB), que "desarranjou" o setor com nomeações de pessoas que "vão assinar o que não devem", de acordo com a Folha de S.Paulo.

Batista reafirmou que o lobista Júlio Fróes lhe entregou um envelope com dinheiro depois da assinatura de um contrato milionário da pasta com uma empresa que o lobista representava, e acrescentou que as fitas de segurança do circuito interno podem comprovar se o ministro da Agricultura de fato conhece Fróes. 

Por fim, o servidor ainda disse que Rossi irá atrapalhar as investigações se continuar no comando do ministério.