Latifúndio é ocupado por 500 famílias de sem-teto em SP

Cerca de 500 famílias ocuparam na sexta-feira um latifúndio urbano em Hortolândia, região metropolitana de Campinas. O local reúne de 1,4 mil a 2 mil pessoas em busca de moradia, segundo estimativa de Guilherme Simões, coordenador estadual do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que organiza a ocupação. O MTST alega que a área, no bairro Jardim Minda, estava abandonada e era utilizada para diversas atividades criminosas.

"A área é bem conhecida na comunidade. Servia até ontem para práticas que vão do tráfico de entorpecentes à desova de carros roubados. Trata-se de uma área improdutiva, que não cumpre função social", disse Guilherme ao Portal Terra. A Polícia Militar e a Guarda Municipal acompanharam a ocupação, mas não havia registros de conflito até as 11h30 desta sexta-feira.

"Hortolândia é uma das cidades que mais cresce no Brasil, sendo priorizada por indústrias de vários ramos (...). No entanto, esse crescimento não contempla os trabalhadores mais pobres do município. Cerca de 20 mil famílias não têm casa em Hortolândia", calcula MTST, em nota divulgada na sexta-feira. O MTST buscará se reunir com o governo para discutir a desapropriação do terreno e a regularização de moradias para as famílias.