Mais dois convênios do Turismo são investigados pelo Ministério Público

O Ministério Público Federal investiga outros dois convênios firmados pelo Ministério do Turismo sob os quais também paira a suspeita de fraude e informa que tentará reaver o dinheiro que pode ter sido desviado. 

Os suspeitos de desviar verbas para qualificação de profissionais de turismo do Amapá já tiveram a quebra de sigilo solicitada e, na quinta-feira, tiveram o bloqueio de bens pedido.

Segundo o Jornal Nacional, relatório do MP, que detalha uma série de irregularidades na subcontratação de empresas que deveriam treinar trabalhadores, afirma que o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Infraestrutura Sustentável (Ibrasi) recebeu R$ 4 milhões mesmo não tendo funcionários nem qualificação técnica. 

Segundo o MP, a contratação de cinco empresas foi acertada pelo Ibrasi antes da licitação do Ministério do Turismo, e uma fiscalização do Tribunal de Contas da União (TCU) diz também que as empresas contratadas enviaram seus orçamentos antes de o Ibrasi encaminhar pedido de cotação de preços.