SC: em 79 horas, choveu mais do que o previsto para o mês em muitas regiões 

O serviço de meteorologia de Santa Catarina (EpagriCiram) divulgou relatório mostrando que nos últimos dias, em um período de 79 horas, a chuva superou, em diversas regiões do estado, os valores esperados para todo o mês de agosto. Os maiores índices pluviométricos ocorreram na Grande Florianópolis, no Planalto Sul e no litoral sul, acima de 100 milímetros (mm) em praticamente todos os municípios, chegando a 212,8 mm em Urubici. Nesse intervalo de 79 horas, Florianópolis bateu o recorde mensal de chuva em agosto, com um total de 155,7 mm.

Hoje (11) foram registrados nevoeiros ao amanhecer e o sol deve aparecer em boa parte de Santa Catarina. A meteorologista Gilsânia Cruz alerta que o mar está agitado nesta manhã e que há risco de ressaca. As ondas podem chegar a 4 metros em áreas mais afastadas da costa, sendo desfavorável a atividades de pesca e à navegação de pequenas e médias embarcações.

Nos demais estados da Região Sul, os governos continuam atendendo a população atingida pelas chuvas, pelo granizo e pelos ventos dos últimos dias. A Defesa Civil do Rio Grande do Sul envia hoje 100 kits com cobertores, lençóis, fronhas, travesseiros e mosquiteiros para São Sebastião do Caí, onde centenas de moradores de regiões ribeirinhas precisaram abandonar suas casas por causa da enchente.

De acordo com dados atualizados pela Defesa Civil nesta quinta-feira, sete municípios gaúchos estão em situação de emergência. Vinte e sete enviaram notificação preliminar de desastre, documento que antecede o decreto de situação de emergência. Do total de 136.564 pessoas afetadas, 6.216 ainda estão desalojadas e 807, desabrigadas.

No Paraná, o governo montou uma força-tarefa para apoiar a população e ajudar na recuperação de 2 mil residências danificadas pela chuva de granizo na tarde de terça-feira (9) em Reserva, região dos Campos Gerais, a 180 quilômetros de Curitiba. Já foram enviadas telhas de fibrocimento e bobinas de lona (cada uma com 400 metros) para a cobertura das casas, além de cestas básicas, colchonetes, roupas e calçados.

De acordo com relatório da Defesa Civil, 13,5 mil pessoas ainda sofrem consequências da chuva que durou sete minutos, com pedras de gelo de até 4 centímetros de diâmetro. Dez municípios do sudoeste paranaense foram atingidos.