SP: dono de Porsche que matou advogada será indiciado por homicídio doloso

O promotor de Justiça Rogério Zagallo afirmou que vai denunciar o engenheiro Marcelo Alves de Lima, 36 anos, motorista do Porsche que atingiu o carro da advogada Carolina Menezes Cintra Santos, 28 anos, por homicídio doloso (quando há intenção de matar). "O dolo eventual (quando a pessoa assume o risco de matar) está claro pela velocidade do carro", afirmou o promotor. 

O acidente ocorreu no dia 9 de julho e a advogada morreu na hora após a colisão. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

O Porsche, conduzido por Lima, colidiu violentamente com um Tucson no Itaim-Bibi, Zona Sul de São Paulo. A advogada baiana Carolina Menezes Santos trafegava pela rua Bandeira Paulista e, no cruzamento com a Tabapuã, avançou no sinal vermelho. Nesse momento, seu carro foi atingido pelo Porsche, arremessado a mais de 20 metros e prensado em um poste. 

No depoimento à polícia, Lima disse ter acelerado quando estava no semáforo a dois quarteirões dali, porque teve medo de ser assaltado ao ver duas "pessoas estranhas". Ele contou ter jantado com uma amiga e, após tê-la deixado em casa, causou o acidente.