Após chuva, ondas chegam a 3 m na costa de Florianópolis 

Depois de três dias de chuva intensa, a ressaca e ondas de 3 m chegaram à costa de Florianópolis na tarde desta quarta-feira. O mar tomou praticamente toda a faixa de areia de várias praias. Na Armação do Pântano do Sul, pescadores removeram os barcos para evitar maiores estragos. Ondas mais fortes chegaram a passar sobre o muro de pedras construído ano passado para conter o avanço da água.

A situação era de tensão em outra praia bastante castigada pela ressaca de 2010, a Barra da Lagoa. O mar chegou a invadir parte de estabelecimentos comerciais localizados à beira da orla por volta das 13h. As ondas impediram que as embarcações de pesca deixassem o canal.

A força da água assustou moradores mais antigos. "O mar está mexido demais. O cenário parece o mesmo do ano passado", disse Maurício Lamego, 48 anos, morador da Barra da Lagoa. "O medo nosso é que mais uma vez aconteça destruição por aqui."

De acordo com o Centro de Recursos Ambientais (Ciram), a instabilidade deve permanecer até quinta-feira. Em aviso, o órgão pediu que as embarcações evitem deixar a costa pelos próximos dias. Em áreas mais afastadas do litoral, as ondas podem passar dos 4 m.

Estragos

Em média, agosto conta com 95,2 mm de chuva na capital. Até terça-feira, Florianópolis havia recebido mais de 130 mm. Dessa maneira, a capital sofreu com deslizamentos e cheias na terça-feira. No bairro Rio Tavares, algumas ruas estavam cobertas com águas e os moradores precisaram usar galochas para sair de casa. Na rodovia de acesso à praia do Morro das Pedras, um deslizamento de terra bloqueou a lateral da pista.

Fora da capital, em Blumenau, ainda ontem, as chuvas colocaram a cidade em estado de atenção para enchentes. O nível do rio Itajaí Açu estava em 5,2 m às 13h, e subiu para 5,86 m às 15h. São Joaquim, que na semana passada registrou neve por três dias, contabilizava, até as 12h, 150 mm de chuva. Segundo o Ciram, a média histórica é de 118 mm em todo o mês de agosto. Em Araranguá, sul do Estado, o acumulado ultrapassava 176 mm. A precipitação supera de longe a média da cidade, de 116 mm.