Expansão das universidades federais tem 53 obras paralisadas

O programa de expansão e renovação das universidades federais enfrenta o problema da paralisação de obras. Segundo o Ministério da Educação, 53 construções estão paradas em 20 universidades federais. São moradias estudantis, laboratórios e salas de aula que consumiram milhões de reais, mas ainda não ficaram prontas porque, segundo o MEC, as construtoras abandonaram os canteiros, faliram e ficaram sem recursos para arcar com os compromissos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Como consequência disso, os alunos assistem às aulas em locais improvisados, sofrem com a falta de laboratórios, bibliotecas e moradia. A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) é um exemplo do problema, com nove obras sem conclusão. A empresa Erdna Engenharia Ltda, responsável pelo trabalho, teria abandonado as obras e falido. Segundo o Portal da Transparência do governo federal, recebeu R$ 11,6 milhões para tocar a expansão dos campus das duas cidades. O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou que o problema deriva da dificuldade que o governo federal e as instituições enfrentam para cancelar os contratos quando há abandono ou paralisia das obras.