Enxurrada provoca morte de agricultora no RS

Uma agricultora morreu após ser arrastada pela enxurrada, nesse sábado, em um assentamento de pequenos produtores, em Nova Santa Rita, a 20 km de Porto Alegre. A mulher, de 45 anos, desapareceu nas águas de um riacho quando trabalhava com uma criação de porcos. Foi a terceira morte relacionada à chuva registrada no Rio Grande do Sul, desde o início de uma sequência de temporais que afeta mais de 109 mil pessoas no Estado.

Para a Defesa Civil gaúcha, o caso de Nova Santa Rita representou o primeiro óbito oficialmente ocasionado pelas precipitações. Nas outras duas mortes, a suspeita de relação com as enxurradas é consistente, mas ainda não confirmada pelo órgão. "Houve um alagamento que levou esta agricultora a morrer afogada durante um percurso em seu ofício. Nesta situação, já não temos dúvidas que a chuva foi determinante", disse o coordenador da Defesa Civil do RS, coronel Oscar Moiano.

Ontem, uma idosa foi encontrada morta em uma casa que ficou alagada, em São Jerônimo (RS), a 47 km de Porto Alegre. Segundo a Defesa Civil gaúcha, a mulher, ainda não identificada, estava doente e sozinha na residência. Ela caiu da cama e se afogou. O município é banhado pelo Rio Jacuí, que teve elevação expressiva do nível nas últimas horas.

Já em Santo Augusto, no norte gaúcho, um homem, que lidava com o gado na zona rural do município, morreu ao tentar atravessar um riacho.