Em velório, senadores do PR dão voto de confiança a ministro

Em meio às homenagens ao ex-presidente da República Itamar Franco no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte (MG), senadores do PR deram mais um voto de confiança ao ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, após denúncias de que funcionários da pasta estariam envolvidos em um esquema de superfaturamento de obras e recebimento de propinas.

Presente ao velório de Itamar, o líder do PR no Senado, Magno Malta (ES), pediu uma investigação séria para esclarecer as denúncias, mas disse que o partido tem "total confiança" em Nascimento. Para Malta, a investigação tem de ser séria, com o objetivo de se identificar os envolvidos, evitando o risco de se "jogar todos na vala comum". O senador Clésio Andrade (PR-MG) endossou as palavras de Malta e garantiu que mantém o apoio à presença de Nascimento à frente do ministério.

Mais cedo, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República divulgou uma nota oficial em que o governo federal demonstra "confiança no ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento". Segundo a nota, Nascimento é o responsável pela condução do processo de apuração das denúncias contra o ministério.

A presidente Dilma Rousseff já se encontrou pessoalmente com o ministro depois da divulgação das denúncias. A posição do governo aponta para a permanência de Nascimento na pasta, depois de a cúpula do Ministério ter sido afastada.

Segundo reportagem publicada pela revista Veja, representantes do PR - partido de Nascimento -, funcionários do ministério e de órgãos vinculados à pasta estariam envolvidos em um esquema de superfaturamento de obras e recebimento de propinas.

No fim de semana, quatro pessoas envolvidas nas denúncias foram afastadas de suas funções: o chefe de gabinete Mauro Barbosa da Silva, o assessor Luís Tito Bonvini, o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luís Antônio Pagot, e o diretor-presidente da estatal Valec, José Francisco das Neves.