Temporal atinge Sergipe e Aracajú tem ruas alagadas

 

Desde a tarde de segunda-feira, o Estado de Sergipe é atingido por um forte temporal. De acordo com um boletim divulgado nesta terça-feira pela Climatempo, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) já registrou, entre as 14h de ontem e desta terça-feira, o acúmulo de 160 mm de chuva, sendo que deste total, 116 mm das 7h às 14h de hoje. A média normal de chuva do mês de maio é de 273 mm.

Em Aracajú, a chuva alagou ruas a avenidas, o que fez escolas suspenderem as aulas. No bairro Manoel Preto, na zona norte, o asfalto de uma rua cedeu e parte de uma residência desabou, atingindo outras seis casas.

Na avenida Airton Teles, no centro da cidade, um canal transbordou, deixando diversas lojas alagadas. Segundo o meteorologista Overland Amaral, até as 10h de hoje havia chovido o volume esperado para o dia inteiro.

De acordo com a Defesa Civil do Estado, uma casa desabou no município de São Cristóvão, mas não houve feridos. A recomendação é que a população evite sair de casa, já que há pontos de alagamentos em praticamente todos os locais da capital.

A previsão do Centro de Meteorologia de Sergipe é de mais chuva nas próximas 18 horas. De acordo com Amaral, a previsão para esta terça-feira é de que o volume continue intenso na Capital, com 50 mm, no agreste, e, no alto sertão, de 10 a 20 mm.

As fortes chuvas também provocam prejuízos no interior do Estado. Na BR 101, no km 115, o rio Vaza Barris transbordou e invadiu a pista, deixando o trânsito lento no local. Em São Cristóvão, uma casa desabou e, em Itaporanga D¿Ajuda, as ruas estão alagadas e casas, inundadas. Os municípios de Estância e Umbaúba também foram afetados, barreiras caíram na região. Até às 17h de hoje, não havia informação de vítimas.

O Aeroporto de Aracaju chegou a fechar para pousos e decolagens durante a madrugada. Segundo a assessoria de Comunicação da Infraero, três voos foram cancelados (um da Gol e dois da TAM).

A nota da Climatempo afirma que as áreas de instabilidade na costa leste do nordeste se intensificaram neste início de semana, por conta de uma grande frente fria que avançou até a costa de Sergipe e de Alagoas. Esta frente fria já se afastou em alto-mar, mas nuvens carregadas continuaram espalhadas pela costa leste do nordeste provocando mais chuva. O período entre maio e julho é normalmente de muita chuva na costa leste do nordeste. Chuvas volumosas ou dias seguidos de chuva são comuns, principalmente entre a região de Salvador e de João Pessoa.