Ministro acusa prefeitura de SP de vazar dados sobre Palocci

O ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse nesta terça-feira que "está clara" a origem do vazamento do faturamento da empresa Projeto, do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci. Ele apontou a prefeitura de São Paulo como fonte da informação, por meio dos tributos recolhidos pela empresa.

Carvalho lembrou que, durante o período de campanha eleitoral, foram feitas denúncias contra o então candidato à presidência da República José Serra (PSDB), sem se falar do conteúdo da denúncia, apenas do vazamento. "Houve agora, de novo, um vazamento da prefeitura de São Paulo. Se ele (Palocci) tivesse feito desvio de dinheiro do ponto de vista de caixa dois ou dinheiro no exterior, incorreria em um grande erro e não haveria prova. A demonstração de nota via ISS permite a verificação dos recursos que auferiu com seu trabalho".

O Imposto Sobre Serviços, cuja alíquota em São Paulo é de 5%, poderia indicar o faturamento da empresa de Palocci. Reportagem do jornal Folha de S. Paulo publicada no último dia 15 afirmou que o patrimônio do ministro aumentou 20 vezes em um período de quatro anos. Também foi publicado que o faturamento da consultoria superou R$ 10 milhões nos últimos dois meses do ano passado.

Carvalho ressaltou que o governo "não está fragilizado" com as denúncias. "A ordem da presidenta Dilma Rousseff é continuar trabalhando. A luta política faz parte. Temos que ter clareza para enfrentá-la", completou o ministro.