Jornalista Pimenta Neves se entrega e já está preso

O jornalista Pimenta Neves se entregou por volta das 20h desta terça-feira a policiais da Divisão de Capturas que cercaram sua casa no final da tarde, na zona sul de São Paulo. Ao chegar ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ele disse que não precisou ser convencido pela polícia a se entregar.

"Eu estava preparado", disse.

De acordo com a Constituição, a polícia só pode invadir uma residência à noite em caso de flagrante. Com mandado judicial, como é o caso, a invasão só poderia ser de dia. Os policiais, então, tocaram a campainha, bateram palmas e cercaram a casa do jornalista, que chegou a passar por uma janela na frente da casa antes de sair.

Nesta tarde, o STF negou recurso a Pimenta Neves, que confessou ter matado a colega de trabalho Sandra Gomide em 2000. O jornalista tinha o direito de recorrer em liberdade enquanto a decisão era julgada. 

Regime fechado

Por sugestão da ministra Ellen Gracie, o ministro Celso de Mello determinararia ao juiz da Comarca de Ibiúna (SP) a execução da sentença de 15 anos de reclusão em regime inicialmente fechado.

"É chegado o momento de cumprir a pena", disse o ministro Celso de Mello, já que se esgotaram todos os recursos possíveis por parte da defesa, qualificada pelo relator como "ampla, extensa e intensa".

A primeira condenação de Pimenta Neves foi em 2006: 19 anos e dois meses de reclusão em regime fechado. Ao julgar recurso, no entanto, o Tribunal de Justiça de São Paulo reduziu a pena para 18 anos. Em um dos recursos impetrados, a defesa conseguiu no Superior Tribunal de Justiça a redução para 15 anos.