Governistas deixam reunião sobre Palocci após manobra do Psol

 

Os integrantes da base governista abandonaram nesta terça-feira a reunião da Comissão de Fiscalização e Controle do Senado depois que a oposição retirou o requerimento de convocação do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, para prestar esclarecimentos sobre seu aumento patrimonial.

A base governista compareceu em peso à comissão para garantir a derrubada do requerimento, o que fez com que a autora, Marinor Brito (Psol-PA), reivindicasse sua retirada. "Estou retirando porque sei que o governo, neste momento, continua batendo o pé para o ministro não vir. Retirar o requerimento não significa desistir de ouvir o ministro Palocci. Ele deve uma prestação de contas sobre isso e vamos exigir em outro momento."

Diante da retirada, a reunião foi esvaziada. O líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), disse que o objetivo da oposição era preservar a comissão como "palco político" para a questão envolvendo o ministro Palocci.

Antes da manobra do Psol, ele havia orientado os peemedebistas a rejeitar o requerimento, dizendo não haver irregularidade. "Se não há irregularidade, se não há crime, se o ministro Palocci deu as explicações que foram cobradas, a própria Procuradoria Geral da República deu um prazo para que essas explicações fossem dadas e serão dadas, não há outra coisa a fazer aqui senão recomendar que rejeitem o requerimento. Não podemos transformar essa comissão em palco político que objetiva atrapalhar governo que está muito bem."

O líder petista, Humberto Costa (PE), também havia reforçado a defesa a Palocci. "O que há são suposições, ilações, dúvidas. Acusações textuais, formais, provas daquilo que está sendo levantado até o presente momento, não há. Até que haja uma prova em contrário, o ministro Antonio Palocci é inocente."

O líder governista, Romero Jucá (PMDB-RR) disse que o ministro da Casa Civil "deu todas as explicações" e, portanto, não haveria motivo para crise.

Na Câmara dos Deputados, a oposição também tem tentado, sem sucesso, aprovar requerimentos de convocação do ministro Antonio Palocci.