Em reunião, Lula pede que PT se una em defesa de Palocci

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em reunião com senadores do PT nesta terça-feira, pediu aos parlamentares que se unam em defesa do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, que há cerca de 10 dias é alvo de denúncias sobre evolução patrimonial e tráfico de influências. Lula se reuniu com a bancada petista na casa da senadora Gleisi Hoffmann, em Brasília, para conversar sobre a situação do ministro, mas os parlamentares negaram que este tenha sido o principal tema do encontro.

De acordo com o senador Paulo Paim (PT-RS), a reunião serviu para tratar de reforma política. "A única coisa que senti na reunião é que não há prova concreta contra Palocci no momento e que quem está acusando, tem que provar. Esse tema foi comentado nesse sentido: o fato está aí e nós vamos acompanhar o desenrolar com muita convicção de que, até o momento, não tem nada que comprove qualquer tipo de denúncia contra o Palocci de forma concreta. O (ex-presidente) Lula vai conversar e está conversando com as bancadas, mas está falando sobre a importância da reforma política", afirmou.

Para o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), Palocci não cometeu "atos ilícitos" durante os quatro anos em que foi deputado federal, entre 2007 e 2010. Há cerca de 10 dias, reportagem do jornal Folha de S.Paulo trouxe denúncias de que o patrimônio de Palocci teria sido aumentado em 20 vezes nesse período.

"O pedido do (ex-presidente) Lula foi para que estejamos unidos em defesa de Palocci que é uma pessoa importante na administração da presidente Dilma Rousseff e que certamente saberá explicar todo e qualquer procedimento que aconteceu com esses episódios", disse Suplicy. "O importante é defendermos um companheiro que, acreditamos, age com seriedade e que tem dado uma contribuição muito significativa para o Brasil e para o PT e temos razões para confiar no prosseguimento dele, acho importante que haja unidade da bancada."