"Diferenciados" estendem varal de roupas em cruzamento de São Paulo

O cruzamento da avenida Angélica com a rua Sergipe, em Higienópolis, região central de São Paulo ganhou um enorme varal de roupas, estendido pelos manifestantes do "churrascão da gente diferenciada", no início da noite deste sábado. O protesto, contra a possibilidade de o Metrô mudar o local da estação que ficaria no local, motivou o bem-humorado protesto.

A manifestação, que começou às 14h, não tem hora para acabar. Os cerca de mil manifestantes chegaram a acabar com o estoque de cerveja de pelo menos dois bares da avenida Angélica, visitados pela reportagem.

A avenida Angélica segue fechada entre as ruas Pará e Sergipe. A movimentação dos manifestantes é acompanhada de perto pela Polícia Militar, mas não houve o registro de incidentes. Um oficial da corporação, de cima de uma viatura, filma o protesto, para uso "interno" da PM.

Entenda o caso
O governo de São Paulo desistiu, após pressão de moradores, empresários e comerciantes de Higienópolis, bairro de alto padrão no centro da capital, de uma estação do metrô na avenida Angélica, segundo reportagem publicada na Folha de S. Paulo na última quarta-feira. Com isso, o governo reativou o projeto de uma estação na praça Charles Müller, no estádio do Pacaembu.

Os protestos da Associação Defenda Higienópolis contra a estação reuniu 3,5 mil assinaturas contra o plano, com campanhas na rua e no Twitter. Os moradores alegavam que a nova estação ampliaria o fluxo de pessoas no local, com o consequente "aumento de ocorrências indesejáveis", além da transformação da área em "camelódromo".