DF: polícia apreende 200 ônibus piratas no transporte coletivo

A Polícia Civil do Distrito Federal desencadeou na madrugada desta sexta-feira uma operação para o cumprimento a mandados de busca e apreensão nas garagens das empresas que operam o transporte coletivo. Por intermédio da Divisão Especial de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública (Decap), investigações apontaram a dispensa ilegal de licitação no transporte público e no sistema de bilhetagem automática, nas quais foram indiciados o ex-governador José Roberto Arruda e o ex-secretário de Transporte Alberto Fraga.

Os empresários Wagner Canhedo, Victor Foresti e Eduardo Queiroz também foram indiciados. A Operação Drakkar II realizou a apreensão de cerca de 200 ônibus piratas, inseridos no sistema pelos próprios empresários e à revelia do Estado.

"Esses ônibus não constam nos cadastros e operam, inclusive, com os aparelhos que registram os dados cadastrais dos passageiros no sistema de bilhetagem eletrônica", explicou o delegado. Os donos da empresa Fácil, que operam o sistema, e os demais indiciados respondem ao inquérito em liberdade.