Saúde de Dilma faz viagem ao Paraguai ser cancelada

A presidenta da República, Dilma Rousseff, cancelou a viagem que faria no domingo à Assunção, capital do Paraguai. A decisão, anunciada hoje (12), foi motivada por recomendações médicas, de acordo com o porta-voz da presidência da República, Rodrigo Baena. Dilma se recupera de uma pneumonia e os médicos recomendaram mais cautela à presidenta.

"A viagem foi cancelada por recomendação médica de cautela para que a presidenta, ainda que esteja quase que totalmente recuperada, não se exponha a uma viagem de seis horas", disse o porta-voz.

Dilma participaria das comemorações do bicentenário da independência do Paraguai e tinha um encontro marcado com o presidente Fernando Lugo. O presidente do Senado, José Sarney, e o ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, representarão o governo brasileiro nas comemorações no país vizinho.

A pneumonia de Dilma foi diagnosticada no início desse mês em exames feitos pela presidenta no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. A doença apareceu uma semana depois da presidenta Dilma ter tomado a vacina contra a gripe, mas médicos do hospital descartaram que a causa da doença tenha sido a vacina.

Desde então, Dilma tem despachado com freqüência do Palácio da Alvorada, residência oficial da presidenta, em vez de cumprir sua agenda no Palácio do Planalto.

No último evento que participou, a 14ª Marcha de Prefeitos, ela discursou e em muitos momentos pediu desculpas pela voz, parecia rouca. Disse que estava em fase final de recuperação.