Justiça recebe denúncia de espionagem no governo Yeda

A Justiça do Rio Grande do Sul em Canoas anunciou nesta quinta-feira que recebeu uma denúncia do Ministério Público contra três acusados de acesso ilegal ao Sistema de Consultas Integradas da Secretaria de Segurança Pública (SSP) durante o governo Yeda Crusius (2007-2011). Os suspeitos são o sargento César Rodrigues de Carvalho, o ex-chefe de gabinete da ex-governadora Ricardo Luís Lied e o tenente-coronel da reserva e ex-assessor de gabinete da tucana Frederico Bretschneider Filho.

No mesmo ato, o tribunal recebeu uma denúncia contra o sargento César, acusado de ter exigido propina de um dono de máquinas caça-níquel. O juiz Alberto Henning manteve o decreto de sigilo sobre o processo, ao destacar que os autos contêm conversas telefônicas interceptadas e dados bancários e fiscais de um dos acusados. O próximo procedimento é a citação dos réus para que apresentem defesa.

No esquema, que envolve recebimento de propina e espionagem, o sargento é acusado de acessar dados sigilosos de políticos, jornalistas, advogados, delegados e também de oficiais da Polícia Militar, a mando de Lied e do tenente-coronel da reserva. A denúncia havia sido oferecida pelo Ministério Público em 14 de janeiro deste ano.