Promotores incorporam 'bolsa-aluguel' e passam teto salarial

Investigação do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) aponta que pelo menos 950 promotores e procuradores do País recebem mensalmente uma espécie de "bolsa-aluguel", que varia de R$ 2 mil a R$ 4,8 mil. Em muitos casos, segundo o CNMP, os salários com o auxílio-moradia incorporados, em muitos casos, ultrapassam o teto constitucional de R$ 26,7 mil.

Previsto para ser temporário, o auxílio-moradia é pago a todos os membros do Ministério Público de pelo menos cinco Estados: Amapá, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Santa Catarina. A regalia, segundo o jornal, é paga até para promotores que já estão aposentados.

No total, são gastos, no mínimo, R$ 40 milhões por ano com essa despesa dos promotores, cujos salários vão de R$ 15 mil a R$ 24 mil. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.