Kassab diz que Heráclito está pensando sobre PSD

Em evento em Teresina (PI) para a criação do 11º núcleo do PSD no País, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, confirmou neste sábado convite ao ex-senador Heráclito Fortes (DEM) para se filiar à nova sigla. Segundo Kassab, o democrata pediu um tempo para pensar na possibilidade. "O (ex) senador Heráclito Fortes é uma pessoa querida e o convidei para se filiar ao partido. Ele está refletindo sobre seu futuro na vida pública e nos dará uma resposta", afirmou.

Durante a cerimônia, o prefeito disse que o PSD não decidirá, um ano após as eleições presidenciais, se será oposição ou governista. Ao chegar em Teresina, ele reafirmou que a agremiação será "independente" e não vai pressionar as lideranças para declararem apoio ao governo da petista Dilma Rousseff.

"Aqueles que apoiam Dilma vão continuar apoiando. Aqueles que não, vão ter liberdade para querer apoiá-la ou não de acordo com suas convicções", disse. E acrescentou: "O PSD é um partido independente pela peculiaridade de sua formação".

Em seu discurso, o prefeito reagiu às críticas dos adversários sobre a falta de programa partidário. "Os adversários, às vezes, exploraram a falta de programa, mas o partido ainda está sendo fundado e vamos ter diretrizes discutidas internamente com as lideranças", disse.

Em Teresina, Kassab recebeu a adesão do ex-governador do Piauí Hugo Napoleão, um dos fundadores do DEM no Estado, e atual deputado federal. No Piauí, o PSD será comandado pelo deputado federal Júlio César (DEM), e contará com a filiação de três deputados estaduais e cerca de 30 prefeitos e vereadores. O ato de criação do partido contou ainda com a presença do governador do Estado, Wilson Martins (PSB), e do prefeito de Teresina, Elmano Férrer (PTB).

Kassab confirmou que o ex-senador Jorge Bornhausen (DEM) não irá se filiará no PSD, pois vai abandonar a vida partidária. "É um grande amigo. Ficaria feliz se ele ficasse conosco, mas infelizmente, ele abandonará a vida partidária", disse.