Em discurso, Sarney aponta campanha para 'fragilizar' Senado

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), afirmou em discurso nesta quinta-feira que há uma campanha para fragilizar a Casa Legislativa. A declaração foi feita em cerimônia de homenagem aos 185 anos de instalação do Senado Federal. "Identifico muito essa campanha contra o Senado, uma Casa forte, a quem o Brasil deve muito com relação à sua construção. Em um momento em que se procura fragilizar instituições no Brasil, ataca-se muito o Senado, porque aqui continuamos a ser uma fonte permanente de ajuda ao Brasil. Somos passageiros. Os homens desaparecem, mas a nossa Instituição tem sido uma parte da construção do Brasil e continua atualizando-se a cada dia", afirmou.

Pela manhã, em encontro do PMDB, Sarney havia afirmado que a classe política precisa renovar sua legitimidade para não perder o papel de representante do povo, que está sendo disputado com a mídia. "O Congresso depois de um mês, dois, três, começa a ser contestado. Os deputados não sabem por que foram eleitos e o eleitor não sabe mais que elegeu o deputado. A partir daí, a mídia e seus instrumentos entram e dizem: não, nós passamos a representar o povo. Esse é o grande desafio do mundo atual, da classe política. Temos que estabelecer instrumentos para renovar todo o dia a nossa legitimidade".

Sarney disse não ser favorável a um controle da mídia, e afirmou que "o tempo corrige os equívocos" cometidos. "Talvez eu tenha sido o presidente mais criticado da história do Brasil, mas nunca ninguém viu da minha parte nenhuma reação violenta contra isso", disse.