Investigação deve ser mais célere, diz ex-procurador do mensalão

BRASÍLIA - O ex-procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza, responsável pela denúncia do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal), criticou a demora da Polícia Federal em investigar os desdobramentos do caso. A PF concluiu relatório sobre a origem do dinheiro do esquema em fevereiro, cinco anos após o início das investigações. O documento faz parte de um inquérito aberto em 2007 e está em análise pelo Ministério Público Federal, que pode pedir novas investigações. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

"O tempo de cinco anos foi muito longo. A investigação deve ser mais célere", disse Souza. Ele afirmou que há elementos suficientes para condenar os 38 réus que ainda permanecem na denúncia.

"Se eu tivesse dúvida, não teria apresentado a denúncia. Pelo menos parte relevante dos valores teve origem em recursos públicos".

Souza também afasta a ideia de que, por alguns réus estarem de volta ao cenário político, o caso seja esvaziado. "Esta reabilitação política não pode sugerir que tudo passou de uma invencionice", disse.