Projeto proíbe celular em escolas públicas de Porto Alegre

Celulares e aparelhos eletrônicos podem causar problemas para estudantes das escolas da rede municipal de ensino de Porto Alegre (RS). Nesta quarta-feira, os vereadores da capital gaúcha aprovaram um projeto de lei que prevê advertência para os alunos que mantiverem os aparelhos ligados durante as aulas.

Conforme a proposta, do vereador Haroldo de Souza (PMDB), os telefones devem permanecer desligados e guardados durante as aulas. O projeto prevê ainda a colocação de cartazes nas portas das salas informando sobre a proibição.

O vereador utilizou a opinião de especialistas em educação, que consideram o uso do celular prejudicial ao aprendizado porque distrai a atenção dos estudantes, para justificar a proposta. "As escolas dispõem de telefones fixos e, em caso de urgência, o aluno poderá ser localizado. Dispõem, também, de telefones públicos, que o estudante pode utilizar em caso de necessidade", afirma Haroldo.

Embora a proibição dos celulares seja norma na grande maioria das escolas, em muitas cidades e Estados a proibição já virou lei. Em 2010, os pais de uma aluna de Fernandópolis, no interior de São Paulo, foram condenados pela Justiça a pagar uma multa de R$ 1 mil porque a filha teria desrespeitado duas vezes a lei estadual que proíbe utilizar o celular em aula.