Ibama se reúne com produtores rurais de áreas desmatadas

 

O coordenador-geral de Fiscalização Ambiental do Ibama, Bruno Barbosa, realiza, até a próxima sexta-feira, reuniões com as lideranças políticas e sindicais de produtores rurais das cidades onde foi desencadeada a operação Disparada, de combate ao desmatamento ilegal. Os representantes locais reivindicam que o gado flagrado na semana passada dentro de área desmatada ilegalmente, embargada pelo Ibama, não seja apreendido e retirado da região.

Segundo Bruno Barbosa, o objetivo do Ibama é combater o desmatamento ilegal, que é acompanhado em tempo real. Entretanto, se a motivação para o desmatamento é a criação de gado, torna-se parte da ação a apreensão dos animais, que serão doados para o Programa Fome Zero.

Nesta quarta-feira, Barbosa visita o município de Novo Progresso, no sudoeste do Pará, onde se reúne com o superintendente-substituto do Ibama no Estado, Alex Lacerda, produtores rurais, vereadores e a prefeita Madalena Hoffman. Já foram realizados encontros com os produtores das cidades paraenses de Redenção e São Félix do Xingu. Também são previstas reuniões nas cidades de Sinop (MT) e Lábrea (AM). "O Ibama utiliza satélites para monitorar o desmatamento. Tomando como base o período entre agosto de 2010 e março de 2011, essas foram as regiões onde houve maior crescimento do desmatamento no período", disse o coordenador-geral de Fiscalização Ambiental.

Para conscientizar a população local, Barbosa citou como exemplos as operações Boi Pirata 1 e 2, ocorridas na Terra do Meio e em Novo Progresso respectivamente. "A preocupação de perder gado em área embargada reduziu drasticamente o desmatamento nessas regiões", lembrou.