Alckmin elogia mulher que denunciou policiais ao 190

SÃO PAULO - Durante evento em Piracicaba, município a 164 km da capital paulista, na terça-feira, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, elogiou a mulher que denunciou, pelo telefone de emergência da Polícia Militar, o assassinato cometido por dois policiais em um cemitério em Ferraz de Vasconcelos, na Grande SP.

"Esta é uma mulher que teve uma atitude exemplar, corajosa, firme, denunciando um caso gravíssimo. Quero cumprimentá-la e dizer que ela é um exemplo de cidadã que ajuda a sociedade. Os policiais já estão presos. Nós não passamos a mão na cabeça de bandido. Eles serão expulsos da polícia e responderão a processo criminal", afirmou.

O fato veio à tona nesta semana, mas ocorreu em março. Uma mulher não identificada presenciou uma execução e fez a denúncia em tempo real para o telefone 190 do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). Segundo o relato dela, o criminoso Dileone Lacerda de Aquino foi levado por dois soldados para o Cemitério das Palmeiras e executado com um tiro no peito. A mulher chegou a abordar a viatura enquanto fazia a denúncia.

Os acusados foram presos e denunciados ao Ministério Público de São Paulo nesta terça-feira. A exoneração deve ocorrer até o final do mês, conforme o tenente-coronel Roberto Fernandes, comandante do 29º BPM. Ele afirmou que acreditou na versão da testemunha porque confrontou as versões dos seus subordinados e encontrou contradições.