Presos cavam túnel de 7 m até creche e fogem no PR

Doze presos cavaram um túnel de cerca de 7 metros até o pátio de uma creche vizinha e fugiram da cadeia pública em Astorga (PR), a 415 km da capital do Estado. Tendo chegado à creche, os presos pularam o muro. Agentes da Polícia Civil descobriram a fuga quando deram pela falta dos detentos durante sua contagem para o almoço no sábado.

A suspeita da polícia é que o grupo tenha escapado entre a noite de sexta-feira e a madrugada de sábado, para fugir ainda no escuro. O buraco tinha entre 40 cm e 50 cm de largura. Apesar de o volume de terra ser maior do que uma piscina de mil litros, a polícia acredita que ele tenha sido cavado de dentro para fora e em apenas uma madrugada. De acordo com um dos policiais, a ação conjunta de 12 homens, a laje frágil do chão e a terra fofa em cima da qual está a cadeia teriam colaborado para a rapidez da ação. Apenas um muro simples separa a creche das celas.

A 28ª Delegacia Regional de Polícia de Astorga, onde fica a cadeia, foi construída na década de 1950, e algumas instalações não foram atualizadas - o chão sob a cela, por exemplo, não é impermeabilizado como obriga a legislação atual. Até a fuga, a cadeia comportava cerca de 60 presos em um espaço destinado a apenas 16.

A polícia investiga o paradeiro dos fugitivos, mas até o fim da tarde de domingo nenhum deles havia sido capturado. Dois fugitivos haviam sido condenados por homicídio, e outros dois, por latrocínio, roubo seguido de morte. Os demais foram condenados por crimes mais leves, como furto e tráfico de drogas. O delegado titular deve divulgar os nomes e as fotos dos presos na segunda-feira, e pedir o auxílio da população por meio de denúncias anônimas para recapturá-los.