Marta ataca Bolsonaro: "Tudo tem limite"

A senadora Marta Suplicy (PT - SP) atacou nesta quarta-feira (30) as declarações do deputado Jair Bolsonaro (PP - RJ), que foi acusado de racismo e homofobia depois de uma entrevista dada ao programa CQC, da Rede Bandeirantes.

- Para tudo tem limite! Principalmente para um representante do povo que deve ter como regra o respeito à Constituição Brasileira e prezar pelo decoro parlamentar - escreveu a senadora em nota.

Na TV, Bolsonaro afirmou que não aceitaria que seu filho namorasse a cantora Preta Gil. Depois que suas declarações foram entendidas como racistas, recuou, mas manteve ofensas aos homossexuais. "Eu entendi que ela me perguntou o que eu faria se meu filho namorasse um gay", declarou em entrevista a Terra Magazine.

Veja a nota de Marta Suplicy na íntegra

Para tudo tem limite! Principalmente para um representante do povo que deve ter como regra o respeito à Constituição Brasileira e prezar pelo decoro parlamentar O destempero, o preconceito e o desrespeito à Constituição e aos cidadãos não podem passar batido pela Câmara dos Deputados. A falta de limites por parte do deputado federal Jair Bolsonaro tem permitido a recorrência de um comportamento inadmissível que atinge a toda a sociedade brasileira.

Marta Suplicy

Vice-Presidenta do Senado e Senadora Pelo Estado de São Paulo