'El País': Alencar foi o empresário que levou Lula ao poder

SÃO PAULO - Ao repercutir a morte de José Alencar, ocorrida na tarde de terça-feira em São Paulo, o jornal espanhol El País, em sua edição impressa desta quarta-feira, depositou no ex-vice-presidente a responsabilidade pela eleição de Lula em 2002. Em matéria intitulada "José Alencar, o empresário que levou Lula ao poder", o diário o caracterizou como um dos mais importantes empresários do Brasil e principal fator para que o "ex-sindicalista" alcançasse a Presidência, por assegurar-lhe a confiança do empresariado.

O jornal, que citou a vice-presidência de Alencar durante os sete anos do governo Lula, e não oito, como de fato aconteceu, afirma ainda que Alencar era um crítico da política econômica de Lula, mas que, apesar das diferenças políticas, eram mais que amigos pessoais, "quase irmãos". E que se tornou uma pessoa amada na opinião pública por sua franqueza em dizer sempre o que pensava e por sua tenacidade na luta contra o câncer.

O The New York Times e o The Washington Post divulgaram nota da agência Associated Press, a qual diz que Alencar foi uma "clara aposta" de Lula "para ganhar o apoio de banqueiros, fazendeiros, empresários, oficiais militares e investidores estrangeiros, que temiam pelo passado radical do ex-líder sindical de esquerda".

A relação de amizade entre Lula e Alencar também foi citada pela emissora CNN em seu site. Ao noticiar a morte de Alencar, dizendo que ele lutava contra o câncer por mais de uma década, a emissora citou o elogio feito pelo "popular" ex-presidente Lula durante entrevista a jornalistas em Portugal: "Nossa relação era de irmãos... Nós funcionávamos como uma orquestra, brincamos, tivemos algumas conversas sérias. Acho que o Brasil perdeu um homem de dimensões excepcionais". O site informou ainda que Alencar "teve um início humilde para se tornar um magnata têxtil".

A BBC também destacou a origem humilde do ex-vice-presidente, dizendo que ele se tornou "um empresário multimilionário antes de entrar na política", e que em 2002 Lula o escolheu como vice na tentativa de conquistar o apoio dos líderes de negócios, que "estavam preocupados com o fundo de esquerda de Lula".