STJ solta caminhoneiro acusado de matar cinco em Belo Horizonte

BRASÍLIA - O ministro Celso Limongi, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), concedeu liberdade ao caminhoneiro Leonardo Faria Hilário, 24 anos, que no dia 28 de janeiro provocou um acidente com cinco mortes no Anel Rodoviário de Belo Horizonte. O ministro determinou que Hilário fique solto até o julgamento do mérito do habeas-corpus impetrado pelo advogado de defesa dele.

O caminhoneiro estava preso no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional do bairro Gameleira. No último dia 17 ele se entregou à polícia depois de o desembargador Alberto Deodato Neto, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, ter revogado a liberdade concedida um dia antes pelo juiz de 1ª instância, Guilherme Queiroz Lacerda.

Segundo perícia da Polícia Civil, o caminhoneiro desceu o trecho de 6 km do Anel Rodoviário, na altura do bairro Betânia, a 115 km/h. Quatorze carros e um caminhão foram atingidos pela carreta bitrem carregada com 37 toneladas de trigo dirigida por Hilário, que foi indiciado por homicídio com dolo eventual.

Das 11 pessoas que ficaram feridas no acidente, a menina Laura Gibosky, 4 anos, ainda está internada no Hospital Felício Rocho. Ela teve perda de massa encefálica e fraturas, mas segundo o hospital tem tido uma recuperação gradual.