PF faz operação contra fraudadores de credenciais do governo

 

A Polícia Federal (PF) deflagrou na última quarta-feira a Operação Passe Livre, em que se investigou a obtenção fraudulenta de credenciais do Programa Passe Livre do governo federal. Estima-se que a quadrilha tenha confeccionado mais de 100 credenciais falsas. Os criminosos cobravam de R$ 300 a R$ 1.500, dependendo da capacidade econômica do interessado.

Foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão, tendo sido apreendidos diversos documentos, incluindo dezenas de credenciais em branco, prontas para serem preenchidas. O Programa Passe Livre virou alvo de quadrilhas especializadas que atuam no Distrito Federal (DF) e entorno. Os bandidos procuravam interessados, geralmente pessoas com baixo nível de instrução, e mediante o pagamento de quantias entre R$ 300 e R$700, falsificavam atestados médicos para obtenção das credenciais.

Inicialmente, a fraude se dava com a falsificação de atestados médicos e apresentação desse documentos junto ao Ministério dos Transportes, com a conseqüente emissão regular de credenciais do Programa Passe Livre, ou seja, documentos materialmente verdadeiros. A PF identificou que o chefe da quadrilha, um ex-estagiário do Ministério dos Transportes, dentro do Programa Passe Livre, era o responsável pela impressão das credenciais.

No entanto, antes de deixar o programa de estágio, ele subtraiu dezenas de credenciais em branco, todas autênticas, expedidas pela Casa da Moeda do Brasil. De posse de tais documentos, o ex-estagiário formou uma rede de aliciadores, dentre os quais um servidor do Ministério dos Transportes, que também já foi lotado no Programa Passe Livre. Diversos beneficiários já foram identificados e ouvidos pela polícia.

Tais indivíduos tiveram as suas credenciais do programa Passe Livre apreendidas e foram indiciados por falsificação de documento público. As falsificações nos atestados médicos eram sofisticadas, mas estavam sendo facilmente detectadas pelos servidores do Ministério do Trabalho, que vêm realizando nos últimos anos uma análise criteriosa nos requerimentos com a finalidade de coibir tais fraudes. A PF irá continuar as investigações com o objetivo de localizar todos os beneficiários das credenciais falsas.