Polícia: tentativa de homicídio de ciclistas tem 2 agravantes

O delegado titular da Divisão de Crimes de Trânsito do Rio Grande do Sul, Gilberto Almeida Montenegro, afirmou nesta terça-feira que o motorista que atropelou um grupo de ciclistas em Porto Alegre na semana passada será indiciado por tentativa de homicídio duplamente qualificado. Segundo Montenegro, os agravantes são motivo fútil e redução de defesa das vítimas.

 

 

Veja vídeo publicado no Youtube do momento do atropelamento:


Por volta das 19h da última sexta-feira, o movimento Massa Crítica promoveu um passeio ciclístico a favor do uso das bicicletas no tráfego urbano. Durante a manifestação, que reuniu mais de 100 pessoas, Ricardo Neis, funcionário do Banco Central que dirigia um Golf preto, acelerou e atingiu os ciclistas que bloqueavam a rua José do Patrocínio na altura da rua Luiz Afonso, no bairro Cidade Baixa. Pelo menos 10 pessoas ficaram feridas.

Em depoimento à Polícia Civil concedido na tarde de ontem, Neis alegou legítima defesa, relatando que os manifestantes agiram com violência contra seu carro. De acordo com Montenegro, as vítimas foram impedidas de se defenderem, uma vez que o motorista avançou com seu carro enquanto os ciclistas estavam de costas, sem esperar o golpe.

Na noite de segunda-feira, a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio Grande do Sul pediram a prisão preventiva de Neis. A requisição foi encaminhada à 1ª Vara do Júri de Porto Alegre e será analisada ainda hoje pela Juíza Rosane Ramos de Oliveira Michels, do 2º Juizado Tribunal do Júri.

Segundo nota divulgada pela polícia, foi possível apurar, pelo depoimento do acusado, que o automóvel foi "utilizado como uma arma" e isso acarretaria, entre outros elementos colhidos, na intenção de matar. Outro fator para o pedido foi o fato de o acusado ter ciência de que sua atitude colocou em risco a vida dos ciclistas e, por isso, ele assumiu o chamado dolo eventual, quando se arca com o risco das atitudes provocadas. O inquérito sobre o caso deve ser concluído em um prazo de 30 dias.