Dilma reconhece que ainda há poucas mulheres no alto escalão

RIO - No programa 'Mais Você', da Rede Globo, a presidente Dilma Rousseff criticou os partidos aliados por não indicarem mais mulheres para os altos cargos do governo. "Ainda acho pouco termos três mulheres no alto escalão. Queria mais, e não é que não existam mulheres competentes para os cargos, mas é um governo de coalizão, e há a prevalência por indicações de homens", disse, acrescentando que espera que "o governo evolua ao longo do tempo".

Dilma lamentou que a desigualdade social no país esteja centrada nas mulheres: "A pobreza no Brasil tem cara, sexo e origem." Ainda sobre esse tema, ela respondeu uma pergunta da ex-colega de ministério e adversária na corrida presidencial Marina Silva (PV). "Mais de 20 milhões de lares no Brasil são chefiados por mulheres. Infelizmente, nesses lares, o índice de pobreza diminuiu muito pouco", disse a ex-ministra.

A presidente concordou e afirmou que a "erradicação da pobreza tem que ser focada nas mulheres". Nesse sentido, citou a prioridade para as mulheres em programas do governo, como o Minha Casa Minha Vida, e nas ações de um futuro ministério.

"Vou criar o Ministério de Micro e Pequenos Negócios. Muitas mulheres são manicures ou têm um negócio na área de alimentação, por exemplo. Vamos dar apoio, cursos, formação, isenção tributária, micro-crédito", informou. Ela destacou também a violência contra a mulher e a importância que pretende dar à Lei Maria da Penha.