Acusados de matar jogador em Belo Horizonte viram réus por latrocínio

A juíza da 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte, Neide da Silva Martins, recebeu, na segunda-feira, a denúncia do Ministério Público contra os três homens acusados de roubar e matar o jogador do América William Morais, em fevereiro deste ano. Os denunciados estão presos temporariamente e responderão pelo crime de latrocínio.

A juíza solicitou o laudo de necropsia da vítima e um exame comparativo do projétil retirado do corpo do jogador com a arma apreendida. A suposta arma utilizada no crime foi encontrada na casa de um dos suspeitos debaixo de uma pia, na mesma madrugada em que ocorreu o crime.

Segundo a denúncia do MP, já era madrugada quando a vítima saiu de uma festa no bairro Serrano, região da Pampulha, em Belo Horizonte. O jogador estaria conversando com uma amiga na calçada e, ao se lembrar de que havia deixado a carteira no sítio, voltou para buscá-la. No caminho, a acompanhante de William percebeu que três pessoas se aproximavam para abordá-los. Ainda de acordo com o MP, quando os acusados anunciaram o assalto, a vítima correu, mas foi atingida pelos disparos. A amiga do jogador reconheceu os três acusados, sendo um deles o autor dos tiros.